Parabenos: saiba por que evitar essa substância tóxica que pode estar em seus cosméticos

Você já parou pra pensar em quantos produtos tóxicos sua pele entra em contato todos os dias? Se ainda não, te convidamos a fazer essa reflexão, pois o que você utiliza na pele pode interferir diretamente em sua saúde. Hidratantes, desodorantes, maquiagens, esmaltes, óleos, perfumes, shampoos, condicionadores e até mesmo cosméticos infantis podem conter – entre vários outros conservantes agressivos – uma substância perigosa e que você talvez já tenha ouvido falar: Os Parabenos. 

Essa classe de compostos químicos, muito utilizados em conservantes, pode esconder riscos que vão de alergias e envelhecimento precoce da pele até mesmo em casos mais sérios como casos de alterações hormonais e o câncer de mama. 

Mas afinal, você sabe o que são Parabeno?  

Com a função principal de proteger e conservar os produtos de fungos e bactérias, os parabenos são um conjunto de substâncias conservantes derivadas do petróleo, que estão presentes em 87% dos produtos cosméticos. 

Fáceis de utilizar, compatíveis com muitas matérias-primas e com baixo custo de produção, os parabenos são utilizados  há quase 100 anos nas indústrias farmacêuticas, alimentícias e de cosméticos. Mas nas últimas duas décadas, o movimento anti-parabenos vem ganhando força no mundo todo. Na Dinamarca, por exemplo, o uso de parabenos é rigorosamente proibido em produtos infantis.

Já no Brasil, a ANVISA determinou que as fórmulas não podem conter mais que 0,4% de cada parabeno, nem somar mais que 0,8% de parabeno total na sua composição. Mas felizmente já existem muitas marcas que estão eliminando de vez essa substância de suas fórmulas aqui no Brasil também. 

Porque devemos evitá-los ?

Falar sobre os principais efeitos dos parabenos em nosso organismo vem gerando polêmicas desde 2004. Isso porque um estudo apresentou a relação do desenvolvimento de câncer de mama com os parabenos encontrados nos desodorantes utilizados pelas pacientes. Após muitas discussões, membros da Organização Mundial de Saúde informaram não haver provas suficientes para comprovar essa relação, e o caso foi arquivado. 

Polêmicas à parte, o que não podemos negar é que nossa pele possui a capacidade de absorver diversas substâncias, e não consegue distinguir se elas são benéficas ou não. Por isso, algumas substâncias tóxicas são capaz de penetrar nas camadas mais profundas da pele, chegando até mesmo na corrente sanguínea, provocando diversas reações negativas. 

Os efeitos tóxicos mais relatados pela utilização de parabenos são reações alérgicas na pele causadas por hipersensibilidade aos parabenos. Essa reação pode aparecer tanto no local de aplicação como em locais diferentes do corpo. 

O uso de cosméticos com parabenos combinados a exposição a radiação solar, também pode causar danos na pele e ao DNA cutâneo, provocando o envelhecimento precoce da pele. 

Além disso, os parabenos também podem interferir em alguns dos nossos hormônios, como em casos que essas substâncias atuam como um falso hormônio. Nosso sistema endócrino pode o reconhecer como estrogênio, (hormônio feminino), ocasionando, assim, todos os problemas gerados pelo excesso deste hormônio, como por exemplo, a retenção de líquido, ansiedade e alterações no humor. 

Mas isso não é motivo para se desesperar! Atualmente a indústria dos cosméticos já consegue substituir os parabenos por conservantes não agressivos ou até mesmo conservantes totalmente naturais que possuem ação antifúngica e antibacteriana. 

Como identificar os parabenos em seus cosméticos:

Acredite, apenas procurar por “parabenos” na fórmula de seus produtos não será o suficiente para se livrar dessa substância. Existem várias subdivisões dos parabenos, o que faz com que ele apareça com diversos nomes nos  rótulos dos cosméticos.  

Fique atenta as seguintes nomenclaturas na hora de escolher seus produtos: 

Ácido 4-hidroxibenzoico, ácido p-hidroxibenzoico, ácido parahidroxibenzoico, methylparaben ou Metilparabeno, ethylparaben ou Ethylparabeno, propylparaben ou Propilparabeno. Butylparaben ou Butilparabeno, isobutylparaben ou Isobutylparabeno, isopropylparaben ou isopropilo, benzylparaben ou benzylparabeno, E216, E218 e E214.