MAIOR VILÃO: O MEDO

Olá, tudo bem?

Aqui é a Cris de novo. Passando para saber como você está e para bater um papo sobre um assunto que tem tirado o sono de todos nós.

O MEDO.

Isso mesmo, o medo tomou a nossa rotina e em tudo o que fazemos e pensamos, ele está lá. Muitas vezes até disfarçado de pessimismo e ansiedade.

Noticiários 24 horas por dia nos trazendo informações de suspeitos, contaminados e falecidos por conta desta pandemia. As notícias são de arrepiar mesmo.

Mas o medo não vai nos ajudar a resolver nada.

O medo só nos move em direção a decisões precipitadas, nos traz pensamentos negativos e consequentemente tomamos ações egoístas e individualistas.

Já estamos cansados de ver notícias de pessoas indo ao mercado e comprando rolos e mais rolos de papel higiênico, álcool em gel… esses são apenas alguns exemplos do que o medo leva as pessoas a fazer.

Mas Cris, tem tanta coisa acontecendo, tantas preocupações, tantas incertezas… o que eu faço?

Estamos tendo uma conversa sincera aqui, por isso, não vou omitir. Eu também não sei o que fazer. Falei com minha família, com os meus colegas do trabalho, com minha amiga que é residente em medicina. Ninguém sabe ao certo o que fazer.

Uma coisa é certa: não é com medo que vamos superar essa pandemia. É com amor.

É claro que, existem algumas atitudes que podemos ter ao longo dos próximos dias, evitando o contato e a proliferação da pandemia.

Agora, onde que o amor entra nessa história?

Você já pensou que assim como você e eu, mais pessoas estão com medo? Seja da pandemia, da economia, da ansiedade…

É por isso que eu tomei a decisão de enfrentar os meus medos e tomar atitudes. Como?

Parei de ver todos os noticiários sensacionalistas e fui buscar informações seguras e claras diretamente na internet (isso não inclui aqueles videozinhos de Whatsapp, viu?). Me eduquei sobre o que realmente está acontecendo.

Entendi que existem coisas fora do meu controle. Também entendi que existem muitas outras que dependem somente de mim.

Comecei a colocar em prática ações que acabam de uma vez por todas com alguns dos medos que estou sentindo.

• Primeiro fiz uma chamada de vídeo com TODAS as pessoas que são especiais pra mim. Percebi que a maioria eu poderia visitar quando bem quisesse, mas nunca fui. Esse é o meu medo de perder pessoas que eu amo muito, meu medo de não ter tempo de dizer adeus.

• Medo da minha saúde: Muito se fala de imunidade durante essa pandemia. Resolvi aprender receitas novas para fazer em casa, que aumentam a imunidade e me dão energia. Já testei algumas e amei. Se vocês quiserem, posso compartilhar em outro e-mail! Amor em forma de receitas!

• Medo da economia: Independente se você é funcionária, empresária, estudante, autônoma… todos estamos apreensivos com os próximos passos da economia do nosso país. Isso está fora do meu controle, mas sabe o que está nas minhas mãos? 
Fiz uma lista de todos os meus custos fixos, seja pessoal, seja empresarial… coloquei tudo na ponta do lápis e agora eu sei exatamente o que eu “preciso”. Assim fica muito mais fácil tomar atitudes e ver a melhor forma de resolver.

• Medo do isolamento: Eu não sei você, mas a minha rotina sempre foi MUITO agitada. Correria de trabalho, transporte público, centro da cidade, levar as crianças para a escola, igreja, pilates… e agora é como se eu estivesse durante férias forçadas. 
Continuo trabalhando de casa, mas como dividir os serviços da casa com o trabalho? Como utilizar o tempo livre sem poder ir para a rua? O medo do isolamento vem junto com a ansiedade. Ansiedade nos faz mal, muito mal.

A minha sugestão para lidar com esse medo (esse foi o jeitinho que encontrei e está funcionando pra mim) é determinar datas e horários mesmo dentro de casa. Exemplo:

Ter horário para acordar, tirar o pijama, tomar um banho, ler duas páginas de um livro, preparar o café da manhã para a família enquanto o marido acorda as crianças, sentar em minha escrivaninha improvisada e trabalhar. Fazer alguma atividade com as crianças, separar um tempo para cuidar de mim… e por aí vai.

Determinei horários para tudo isso e está dando certo, assim nos mantemos ocupados, fazemos o que precisa ser feito e ainda tiramos um tempinho para cuidar de nós mesmos. Experimente também. Amor em forma de organização!

Esses foram os meus maiores medos e compartilhei com vocês como estou lutando contra eles. Quais os seus medos? O que você está fazendo para combatê-los? Conta pra mim…

Vamos compartilhar essas dicas com nossas amigas, familiares… as vezes pequenos gestos de carinho e amor podem mudar a vida de alguém.

Fiquei muito feliz com as histórias e ideias que compartilharam comigo no último post, ansiosa pra saber mais!

Até mais,

Com carinho, Cristina da Vivah Cosméticos. ♥